fbpx

Visto para nômades digitais: 9 lugares que incentivam o trabalho remoto de estrangeiros

Viajar o mundo e seguir trabalhando remotamente é um estilo de vida cada vez mais adotado por quem ama estar em movimento e conhecer novos destinos. As facilidades proporcionadas pela tecnologia, como a portabilidade dos dispositivos e a oferta de conexão de internet em alta velocidade, têm levado muitas pessoas a considerarem a possibilidade de trabalhar e viver com o pé na estrada, transformando-se em verdadeiros “nômades digitais”.

Ao mesmo tempo, alguns países já reconheceram o potencial econômico desta nova categoria de viajante e têm criado condições (especialmente com relação às políticas migratórias) para acolhê-los em seu território durante um período. Neste texto, listamos algumas nações que já lançaram programas de apoio aos nômades digitais e detalhar alguns critérios estabelecidos por eles para legalizar esta nova categoria. Confira:

Países que já criaram visto para nômades digitais

O número de países com vistos especiais para nômades digitais ainda não é grande, mas a movimentação recente de várias nações dá uma ideia de como isso pode se tornar comum no curto prazo. A própria pandemia do coronavírus, aliás, fez com que alguns destinos acelerassem a criação desta categoria de visto, com o objetivo de atrair e reter profissionais remotos por um tempo em seu território, estimulando a entrada e circulação de moeda estrangeira no país.

Abaixo, selecionamos 9 países que já estão com seus programas estabelecidos e esclarecemos os principais pontos que devem ser observados para obtenção do documento. Veja:

Europa

🇪🇪 ESTÔNIA

Primeiro país a criar um visto de trabalho remoto específico para nômades digitais (o Digital Nomad Visa, lançado em meados de 2020), a Estônia também está no topo da lista de preferências dos trabalhadores remotos. Tallinn, sua capital, foi escolhida por nômades digitais como o melhor destino de 2020, especialmente porque tem custo de vida relativamente baixo e oferece ótima infraestrutura digital e fácil acesso à internet rápida.

  • Condições: possuir uma empresa remota ou trabalhar para firmas sediadas fora da Estônia e comprovar rendimentos mensais de pelo menos € 3.504 nos últimos seis meses.
  • Principais taxas: € 80 para o visto de curta duração (tipo C, de até seis meses) e € 100 para o visto de longa duração (tipo D, de até um ano).

🇬🇪 GEÓRGIA

Antiga república soviética entre a Europa e a Ásia, a Geórgia aposta nos nômades digitais para aquecer sua economia, que ficou ainda mais fragilizada com a pandemia. Por isso, criou um programa específico para atender este novo viajante, o Remotely From Georgia, que permite ao trabalhador remoto permanecer no país por até um ano, tempo suficiente para curtir as famosas montanhas da região do Cáucaso.

  • Condições: possuir uma empresa remota ou trabalhar para firmas sediadas fora da Geórgia; comprovar rendimentos mensais de pelo menos US$ 2.000, além da capacidade de arcar com os impostos cobrados no país; e contratar um seguro-viagem com seis meses de validade.
  • Principais taxas: como o visto emitido pelo programa é o de turista, os viajantes brasileiros estão isentos de taxa.

🇭🇷 CROÁCIA

Em janeiro de 2021, a Croácia começou a operar oficialmente o seu novo programa de incentivo a nômades digitais, que permite ao trabalhador remoto permanecer legalmente no país por até 1 ano. Como dito, não se trata propriamente de um visto exclusivo para esta categoria, mas uma flexibilização da burocracia envolvida para admitir residentes no país. Ainda é uma iniciativa recente, mas muito promissora, já que o país costuma ser um destino frequente desta categoria de viajante.

  • Condições: possuir uma empresa remota ou trabalhar para firmas sediadas fora da Croácia e comprovar isso com ampla documentação; provar que tem pelo menos 2,5 vezes o salário líquido médio mensal do país no ano anterior (aprox. € 900); apresentar verificação de antecedentes criminais do país de origem; comprovante de residência local ou estadia; e contratação de seguro-viagem ou saúde válido durante a permanência.
  • Principais taxas: € 55 se você se inscrever no país e € 116 se fizer isso no exterior, por meio dos consulados croatas.

América

🇧🇲 BERMUDAS

Território britânico localizado no Atlântico Norte (na altura dos Estados Unidos), o arquipélago das Bermudas é um dos vários destinos do continente americano que estão apostando alto na atração deste novo tipo de viajante para aquecer o turismo local. E tem dado certo: mais de 400 nômades digitais já estão vivendo com o novo visto na ilha, com incríveis praias de areias rosadas e águas azuis deslumbrantes.

  • Condições: ter mais de 18 anos; possuir uma empresa remota ou trabalhar para firmas sediadas fora das Bermudas; provar ter meios suficientes ou fonte permanente de renda para se sustentar na ilha; apresentar comprovante de seguro-saúde com cobertura pelo período da permanência; e comprovar que não tem condenação prévia na Justiça.
  • Principais taxas: US$ 263 para emissão do visto especial (que é válido por até 1 ano)

🇦🇬 ANTÍGUA E BARBUDA

Destino tipicamente caribenho, com muitas praias de areia branca e mar azul transparente, Antígua e Barbuda entrou firme na briga pela atração desta nova categoria de trabalhadores remotos e criou logo um visto de residência com validade de até 2 anos, o The Nomad Digital Resident Visa. Os valores de adesão, no entanto, são mais altos do que os vizinhos que já têm programas deste tipo.

  • Condições: possuir uma empresa remota ou trabalhar para firmas sediadas fora das ilhas Antígua e Barbuda; pagar imposto de renda no seu local de origem; comprovar rendimento de US$ 50 mil por ano; e contratar um seguro-saúde pelo período que permanecer no país.
  • Principais taxas: inscrição custa US$ 1.500 para uma pessoa, US$ 2 mil para casais e US$ 3 mil para famílias com três ou mais integrantes.

🇰🇾 ILHAS CAYMAN

Destino famoso por ser um paraíso fiscal, as Ilhas Cayman é outro território caribenho que já lançou seu visto especial para nômades digitais, o Global Citizen Concierge. O país aposta no estilo de vida luxuoso praticado por ali para atrair endinheirados ao destino, que é reconhecido como a “capital culinária do Caribe” (são mais de 200 restaurantes de alto nível funcionando por ali!).

  • Condições: possuir uma empresa remota ou trabalhar para firmas sediadas fora das Ilhas Cayman, que é um território britânico ultramarino; comprovar renda anual de pelo menos US$ 100 mil (casais devem ganhar no mínimo US$ 150 mil e famílias com filhos pelo menos US$ 180 mil por ano); apresentar referência bancária com firma reconhecida e 6 meses de extratos bancários; apresentar registro criminal federal ou documento semelhante; e comprovar cobertura de seguro-saúde pelo tempo da estadia.
  • Principais taxas: para se inscrever, é preciso pagar US$ 1.469 por pessoa mais US$ 500 por dependente.

🇨🇷 COSTA RICA

País que se destaca por suas belezas naturais (com ótimas praias para surfe) e rica cultura local, a Costa Rica oferece um visto especial para trabalhadores autônomos que queiram morar no país por até dois anos (com possibilidade de renovação), o Rentista. O diferencial é que os trabalhadores remotos também podem abrir empresa ou atuar por conta própria, mas não empregado por outra companhia.

  • Condição: comprovar renda mensal de US$ 2.500 ou fazer um depósito de US$ 60 mil em um banco da Costa Rica.
  • Principais taxas: para se inscrever nesta categoria de visto, o viajante deve desembolsar US$ 250.

África

🇲🇺 ILHAS MAURÍCIO

Banhadas pelo Oceano Índico e próxima ao continente africano, as Ilhas Maurício também estão prontas para receber trabalhadores remotos. O visto especial Mauritius Premium Visa, criado em 2020, permite que viajantes possam ficar no país por um ano (renovável).

  • Condições: possuir uma empresa remota ou trabalhar para firmas sediadas fora das Ilhas Maurício; e comprovar que possui acomodação e seguro-saúde durante o período de permanência.
  • Principais taxas: a inscrição para o visto é gratuita.

Ásia

🇦🇪 EMIRADOS ÁRABES UNIDOS (APENAS DUBAI)

A cidade de Dubai (e não o país Emirados Árabes Unidos, vale dizer) criou o Remote Work Nomad Visa para facilitar a entrada e permitir a permanência legal de nômades digitais e suas famílias por até um ano na região. O grande diferencial deste programa é que ele permite usufruir dos mesmos serviços oferecidos aos residentes, incluindo acesso a telecomunicações, serviços públicos e educação.

  • Condições: ter renda mínima de US$ 5 mil por mês e comprovar isso a partir da apresentação de contrato de trabalho, recibo de vencimento do último mês e três meses de extratos bancários.
  • Principais taxas: para se inscrever, é preciso pagar US$ 287.

Para nômades digitais, pesquisar e planejar é regra!

Antes de embarcar, a dica é pesquisar bastante sobre o destino e planejar detalhadamente cada passo antes de se mudar definitivamente. É importante saber de antemão quais são as condições de infraestrutura do local para não ser surpreendido com dificuldades de acesso à internet, por exemplo. Neste sentido, vale consultar o Nomad List, um site especializado em nomadismo digital, que oferece fichas bem completas sobre vários destinos para consulta.

Se precisar de ajuda com a documentação de viagem, do passaporte aos formulários de solicitação de visto de entrada para nômades digitais, conte sempre com a CELESTINO. Nossa equipe especializada tem décadas de experiência e pode te ajudar em todas as fases do processo, para que você não perca tempo e nem tenha dor de cabeça na hora de migrar. Entre em contato conosco e boa viagem!

Texto e pesquisa: Julio Simões
Algumas fontes consultadas: Oberlo, Expert Vagabond, Planet Nomad

× Como podemos ajudar? Available from 08:30 to 18:00