fbpx

República Dominicana: destino muito além de Punta Cana

A República Dominicana está em alta entre os brasileiros. Só em 2018, mais de 130 mil turistas daqui visitaram o país caribenho, aumento de 39% em relação ao ano anterior. Os números não são à toa: as belas paisagens, o clima ameno e os mais variados resorts (alguns com opção all-inclusive) são um prato cheio para quem busca uma viagem diferente.

Já quem quiser fugir do clima de balada das praias e dos hotéis, há a opção de fazer mergulho em águas cristalinas, jogar em seus famosos campos de golfe ou explorar suas diversas trilhas com montanhas e cachoeiras. Vamos nessa?

História marcada por colonizadores

O país é mais conhecido por ter sido o primeiro local visitado por Cristóvão Colombo quando chegou à América. A capital do país, Santo Domingo, é considerada a cidade mais antiga do continente, tendo sido fundada em 1496. Lá, aliás, há o Farol de Colombo, construído de 1931 a 1992, onde estariam depositados os restos mortais do navegador italiano. Porém, o governo não permite que seja feita a coleta de material de DNA e há indícios de que, na realidade, os restos sejam do filho dele, Dom Diego Colombo.

Além da colonização espanhola, a República Dominicana também chegou a ser território francês no final do século 18. O domínio durou algumas décadas, até que os espanhóis conseguiram retomá-lo dos franceses. Em 1821, a região finalmente conseguiu a independência, mas só por nove meses: depois disso, acabou invadida pelo governo independente do Haiti, que queria unificar a ilha. Foi só em 1844, enfim, que a República Dominicana se tornou independente.

Muito além de Punta Cana

O destino mais conhecido da República Dominicana é sem dúvida Punta Cana. Seus resorts all-inclusive (com comida e bebida já incluído na diária) em geral têm tudo o que é preciso para agradar o turista: praias exclusivas, piscinas, spas, cassinos, baladas, campos de golfe premiados e muita mordomia.

Mas quem quiser conhecer o outro lado do país, vale visitar a capital Santo Domingo, cujo bairro histórico (Ciudad Colonial) é considerada Patrimônio da Humanidade pela Unesco. Além de poder caminhar pelas ruas de pedra e visitar monumentos históricos — como o Alcazar de Colon, que foi residência oficial da família Colombo —, o visitante ainda poderá curtir apresentações de dança e música e experimentar os famosos charutos dominicanos.

Outro destino imperdível é Altos de Chavón. O vilarejo é uma criação do designer italiano Roberto Coppa e do arquiteto dominicano José Antonio Caro, que queriam recriar uma cidade mediterrânea em pleno mar caribenho. O ar bucólico e a beleza das construções de pedra já atraíram muitos artistas ao local. Inclusive, seu anfiteatro em estilo grego já recebeu apresentações ao ar livre de Frank Sinatra, Gloria Estefan, Julio Iglesias, Sting, Carlos Santana e Shakira.

A natureza encantadora da República Dominicana

As praias de água cristalina e areia fina são os grandes atrativos da República Dominicana, mas as atrações não se resumem a isso. O turismo ecológico está cada vez mais em alta no país, com trilhas e escaladas em montanhas, mergulhos em meio a corais e visitas a seus diversos parques nacionais.

O Pico Duarte é uma opção para quem quer escalar o ponto mais alto do Caribe, com 3.087 metros. Nele, o clima tropical dá lugar ao frio úmido da montanha. As excursões até o cume normalmente levam no mínimo dois dias de carro e caminhada, mas a vista lá do alto é um espetáculo sem igual.

Outra atração famosa é o parque nacional Los Haitises, com seus manguezais e ilhotas que guardam espécies únicas de aves. Se estiver em Punta Cana, vale dar uma passada no Hoyo Azul, um cenote que fica dentro do Scape Park e é uma espécie de oásis escondido.

Documentação necessária

Outro bom motivo para escolher a República Dominicana é a isenção de visto de turismo para brasileiros. Para entrar no país à passeio, é preciso apresentar apenas um passaporte válido e pagar uma “tarjeta turismo” de US$ 10 , que é válida por 30 dias. Para trabalhar ou fazer negócios no país, porém, a emissão do visto de entrada é obrigatória. 

Por outro lado, é obrigatório comprovar a vacinação de febre amarela, seja qual for o motivo da viagem. Caso você não tenha o Certificado Internacional de Vacinação e Profilaxia (CIVP), confira aqui como obter este documento. Em caso de dúvidas sobre passaporte ou visto, acesse a página especial da República Dominicana ou entre em contato conosco.

Fonte consultada: Jornal de Turismo
Texto: Igor Nishikiori, com edição de Julio Simões

× Como podemos ajudar?