fbpx

Tóquio: 5 curiosidades sobre a cidade-sede das Olimpíadas 2020

Conteúdo originalmente publicado em julho/2019 e completamente atualizado em maio/2021

Muita gente vinha se programando para conhecer o Japão durante a realização dos Jogos Olímpicos de Tóquio, mas o avanço do coronavírus no mundo a partir de 2020 acabou adiando a principal competição esportiva do mundo e fechou totalmente o país aos turistas.

No entanto, como fazer turismo pela capital japonesa segue nos planos de muita gente para o futuro pós-pandemia, decidimos listar cinco curiosidades (e dicas!) sobre a região metropolitana de Tóquio para você curtir a capital japonesa quando isso for possível. Confira:

1. Acredite: Tóquio não é uma cidade!

Essa é uma confusão muito frequente com relação à cidade-sede das Olimpíadas 2020. Isso porque Tóquio tem uma designação bastante peculiar, sendo uma mistura de município com província (o equivalente aos estados no Brasil).

Na verdade, o que entendemos como Tóquio é a Região Metropolitana de Tóquio, que conta com 23 distritos autônomos (todos com status de cidade), 26 municípios primários, 5 municípios secundários e 8 vilas. Cada cidade é comandada por um prefeito eleito, enquanto quem administra toda Tóquio é um governador.

Uma curiosidade histórica: entre 1889 e 1943, Tóquio chegou a ser uma cidade formada pelos bairros que hoje são os 23 distritos autônomos. Portanto, falar em cidade de Tóquio não está completamente errado, só que, neste caso, seria falar de um município que já não existe mais.

Evite riscos na emissão do visto japonês: conte com a CELESTINO

2. Tenha moedas e dinheiro vivo sempre à mão

Apesar de o Japão ser o país da tecnologia, muita coisa por lá ainda é feita com dinheiro vivo. Para evitar surpresas desagradáveis na hora de pagar alguma conta no restaurante ou um produto na loja de conveniência, a recomendação é andar sempre com notas e moedas no bolso.

Caso você não queira ficar andando com muito dinheiro, uma opção é comprar um IC Card, cartão recarregável aceito no transporte público e em alguns estabelecimentos. A boa notícia é que ele permite reembolso se você não usar todo o crédito – neste caso, basta comparecer a um ponto de atendimento da empresa e fazer a solicitação.

IMPORTANTE: no Japão, ao contrário de outros países, a prática da gorjeta não existe. Lá, inclusive, essa atitude pode ser considerada falta de educação, então vale a pena prestar atenção para não ofender nenhum cidadão local.

3. Mantenha a etiqueta ao andar por Tóquio

Falando em transporte público, considere a possibilidade de as estações de metrô de Tóquio estarem abarrotadas. Em dias normais, elas recebem cerca de 20 milhões de passageiros, bastante próximo ao seu limite.

Por isso, vale a pena seguir algumas regras de etiqueta para que todos possam viajar tranquilo:

  • Antes de entrar no vagão, aguarde o desembarque dos passageiros junto à fila;
  • Deixe o celular no silencioso e nunca ouça áudios sem o fone de ouvido;
  • Evite conversar alto e não faça barulho que importune outros passageiros.

Os japoneses costumam ser gentis e amigáveis com estrangeiros, mas alguns podem agir com rispidez caso tenham seu espaço pessoal invadido. Por isso, vale aprender e se policiar com as tradições locais, respeitando-as sempre!

4. Um celular com internet pode ser a salvação

Acredite: não é fácil achar um endereço em Tóquio. Para quem não é de lá, o sistema de ruas é quase um enigma, o que piora ainda mais por ser uma região urbana e superpopulosa. Nas principais avenidas até existem placas com mapas que ajudam a se localizar, mas a melhor opção é adquirir um chip com internet.

Por isso, recomendamos adquirir o chip internacional MysimTravel, que pode ser ativado no Brasil e é válido em mais 200 países. Seus chips são compatíveis com mais de 340 operadoras mundo afora e você ainda encontra planos especiais para diversos destinos, como EUA, Europa e América do Sul.

Com ele, você fica muito mais seguro caso não fale o idioma, pode visitar atrações turísticas fora da rota turística com maior comodidade e até acionar o consulado brasileiro caso tenha alguma urgência. Sem dúvida, uma mão na roda!

Já pensou em fazer turismo no Japão durante as suas férias? Leia este post!

5. Não esqueça do visto de turista para o Japão!

Para visitar o Japão, o viajante brasileiro precisa emitir um visto de turista. Para isso, precisa preencher um formulário, comprovar rendimentos, apresentar as cópias da passagem aérea e o cronograma da viagem (do dia de entrada até a saída), além de pagar uma taxa (a partir de R$ 97).

Se você estiver neste processo e precisar de ajuda com os trâmites burocráticos, conte com a assessoria especializada da CELESTINO. Nossa equipe está à disposição para responder às suas dúvidas e te auxiliar com todas as fases do processo junto ao consulado japonês – entre em contato e boa viagem!

Saiba mais sobre a documentação de viagem exigida para viajar ao Japão

Texto: Igor Nishikiori, com edição e atualização de Julio Simões

× Como podemos ajudar? Available from 08:30 to 18:00