fbpx

Intercâmbio na Espanha: 3 bons motivos que vão te convencer

Se você ainda está em dúvida sobre fazer intercâmbio na Espanha, fique certo que ela não existirá depois deste texto. Muito se sabe sobre este país europeu, que colonizou grande parte da América, mas os motivos que listaremos a seguir serão definitivos na sua decisão. Preparado? Então siga em frente:

1. Cultura espanhola é imperdível

Pequena em território, gigante em cultura e tradição. Assim é a Espanha, país de pouco mais de 500 mil m2 (um pouco menor do que Minas Gerais, por exemplo), que se divide em 17 regiões com níveis diferentes de autonomia. Alguns destes territórios, aliás, são bastante independentes, caso de Catalunha, País Basco e Galícia, que têm leis e idiomas próprios, além de costumes e festas tradicionais ímpares. Sem dúvida, uma ótima pedida é aproveitar o tempo livre entre os estudos para viajar dentro do país e viver novas aventuras.

Não bastasse isso, a Espanha é um países com mais lugares catalogados como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Tem 47 bens (41 culturais, 4 naturais e 2 mistos), ficando em terceiro lugar, atrás apenas da China (53) e da Itália (54) – o Brasil está bem longe, tem “apenas” 21 bens. Além disso, o território espanhol tem grande variedade de climas, além de cidades e monumentos icônicos, o que torna qualquer viagem uma experiência única.

2. Educação e qualidade de vida são excelentes

Na Espanha, educação é coisa séria desde a Idade Média (séc. XIII), quando surgiram por lá as primeiras universidades do mundo. No entanto, foi no fim do séc. XX que surgiram novas instituições de grande qualidade em diversas regiões, que fizeram da Espanha o primeiro país europeu e o quinto no mundo com mais universidades classificadas no ranking QS Top 50 Under 50. Ou seja, as chances de estudar em boas escolas durante o intercâmbio na Espanha são grandes!

Além disso, um estudo recente feito pela Universidade de Washington (EUA) aponta que a expectativa de vida no país em 2040 será superior de 85,5 anos, a maior do mundo! Atualmente, os habitantes da Espanha vivem 82,9 anos em média, o que coloca o país na quarta colocação no ranking mundial, atrás de Japão, Suíça e Singapura. 

Por fim, vale lembrar que o país é a pátria-mãe da língua espanhola, ou seja, por lá o aprendizado do idioma é mais “puro”, sem tantos sotaques ou variações no vocabulário, ideal para quem quer fazer aprender ou aprimorar o espanhol em sua versão original.

3. Intercâmbio na Espanha é acessível (tem muita bolsa de estudos!)

Embora a moeda corrente na Espanha seja o Euro, que nunca está muito favorável em comparação ao Real, fazer intercâmbio na Espanha é, de certa forma, bastante acessível aos brasileiros. Isso porque muitas instituições espanholas oferecem bolsas de estudo parciais ou integrais para estudantes interessados em aprender ou aprimorar o espanhol ou fazer cursos superiores e especializações.

Como cada instituição funciona à sua maneira, o ideal é entrar em contato com aquela que você pretende frequentar e questionar se há bolsas de estudos disponíveis para o curso que você deseja fazer.

Se você ainda não decidiu o curso ou a instituição, uma boa alternativa é consultar a Fundación Carolina, que oferece bolsas de especialização, mestrado e doutorado em áreas como artes, economia, direito, ciências da saúde, finanças e empreendedorismo. Detalhe: este programa é voltado apenas para candidatos da América Latina e Portugal – portanto, brasileiros que já estejam residindo na Espanha não podem participar.

Por fim, fica um lembrete importante: independente do curso, para fazer intercâmbio na Espanha (permanência acima de três meses) é obrigatório a emissão do visto de estudos, que garante a permanência do estudante legalmente no país durante o curso. O prazo estimado para obtenção do mesmo junto às autoridades espanholas é de 30 dias.

Planejamento nunca é demais

Convencido? Então entre em contato com a CELESTINO e comece o planejamento de seu intercâmbio na Espanha conferindo quais são os documentos necessários para dar entrada no visto de estudos, além dos respectivos prazos e custos. Para saber mais sobre a documentação exigida pelo país, acesse a página especial da Espanha aqui no site. Estamos à disposição! 

Fontes: Guia do Estudante/Estudar Fora, UNESCO
Texto e edição: Julio Simões