fbpx

Férias na Disney: dicas valiosas para aproveitar a viagem

O mês de julho é a época em que muitas famílias se programam para viajar. E um destino que costuma agradar quase todo mundo é Orlando (Estados Unidos), onde é possível curtir as férias na Disney. No entanto, como toda viagem internacional que se preze, é preciso se programar bem para não ter surpresa. Por isso, a CELESTINO listou algumas dicas para te ajudar a viajar com mais tranquilidade. Confira:

Quais parques valem visitar durante as férias na Disney?

O complexo do Walt Disney World conta com quatro parques tradicionais, além de dois parques aquáticos. Todos eles são enormes e têm atrações que vão entreter a família durante as férias na Disney. A dica aqui é visitar todos os parques dos complexos que seu tempo, dinheiro e disposição permitirem. Afinal, você vai andar muito e por isso é contra-indicado visitá-los sem pausa. Para ajudar, confira este roteiro básico de cada parque para aproveitar ao máximo suas férias na Disney:

Magic Kingdom

É o principal parque da Disney e parada obrigatória para quem tem filhos pequenos. A área é dividida em sete partes, uma diferente da outra, com atrações para todos os públicos. É lá onde fica o famoso castelo da Cinderela e a tradicional parada com os personagens da Disney.

Epcot Center

Esse é um parque voltado para adultos, mas que também pode divertir a criançada. O Epcot é uma exaltação às grandes realizações da humanidade e mostra uma visão futurista de Walt Disney. As melhores atrações são o simulador de voo espacial, a pista de corrida e o World Showcase, um pavilhão que recria a cultura de 11 países do mundo — e onde é possível experimentar vários refrigerantes do mundo de graça. Não esqueça de tirar uma foto com a famosa esfera de Epcot!

Hollywood Studios

Parada obrigatória para quem gosta de adrenalina. É lá onde estão as atrações mais radicais do parque, como o Rock’n Roller Coaster e o Tower of Terror. Já quem quer aproveitar as férias na Disney apenas na calmaria, pode curtir os espetáculos da saga Star Wars e Indiana Jones, além de atrações inspiradas nos filmes da Pixar, como Toy Story.

Animal Kingdom

Outra atração para crianças e adultos. Nesse parque é possível fazer um safari e conhecer de perto diversos animais. Ainda há atrações radicais, como o simulador de voo do filme Avatar e uma montanha-russa no monte Everest. Para os pequenos, também há shows de Rei Leão e Procurando Nemo, além de um espaço dedicado aos dinossauros.

Typhoon Lagoon

Boa opção para quem vai passar férias na Disney durante a época de verão norte-americano. Há diversos toboáguas, montanhas-russas aquáticas e a famosa piscina de ondas.

Blizzard Beach

É o menor parque e também um dos mais tranquilos em termos de público. Por outro lado, é onde estão alguns dos toboáguas mais radicais do complexo. Indicado para quem quer passar as férias na Disney em ritmo de aventura.

Como funcionam os ingressos para curtir os parques?

Diferente do que acontece no Brasil, os parques em Orlando adotam o sistema de ingressos por dia, ou seja, em um mesmo dia você pode sair e entrar no parque quantas vezes quiser. A vantagem é que quanto mais dias você comprar ao mesmo tempo, mais barato será o preço do pacote. Por exemplo, enquanto um ingresso de uma diária sai por cerca de R$ 437, o ingresso com cinco dias pode custar R$ 332/dia.

Vale lembrar que os valores dos ingressos variam de acordo com o dia da semana e com a época do ano. Uma dica é comprá-los antecipadamente pela internet, já que a entrada pode ser mais cara na bilheteria.

Como já dissemos, os ingressos são válidos para apenas um parque por dia, mas é possível contornar essa regra comprando a opção Park Hopper, que acrescenta cerca de R$ 240 ao valor do ingresso. Também há o Park Hopper Plus, ao preço de R$ 320, que permite visitar no mesmo dia todos os parques tradicionais mais os parques aquáticos e os complexos de golfe de Orlando.

Ah, e não se esqueça de usar o FastPass+, um benefício gratuito incluso no preço dos ingressos que permite “furar a fila” das principais atrações dos parques – ideal para quem quer aproveitar ao máximo suas férias na Disney.

Para isso, é preciso agendar antecipadamente a visita em alguma atração e pegar uma fila preferencial na hora marcada. O agendamento pode ser feito dentro do parque mesmo, mas a maneira mais prática é usando o app My Disney Experience.

E os outros parques de Orlando, valem a visita?

Além de curtir suas férias na Disney, o turista em viagem por Orlando também pode aproveitar os outros parques e complexos de entretenimento da região. Desses, os maiores são a Universal Studios e o SeaWorld, com dois parques cada. Outras opções são o Fun Spot America, o Kennedy Space Center e a Legoland Florida. Como na Disney, cada um tem suas particularidades e atrações próprias, além de sistema de ingressos próprios. Assim, não é possível, por exemplo, usar um ingresso da Disney em um parque da Universal e vice-versa.

Quais são os outros possíveis gastos desta viagem?

Além de passagem aérea, hospedagem e ingressos para os parques, você precisa colocar na conta da viagem o aluguel de um carro. Sim, se locomover por Orlando não é tarefa simples e usar táxi ou Uber acabam não compensando. Por sorte, não é preciso tirar a Permissão Internacional para Dirigir (PID) para se locomover de carro pela Flórida: basta ter uma CNH válida.

Caso você vá para outras cidades, como Miami ou Fort Lauderdale, será preciso pagar pedágio nas rodovias. Em geral, as próprias locadoras de veículos fornecem pacotes específicos, mas eles podem sair muito mais caros. Uma opção mais em conta é usar o SunPass Mini, um adesivo para o carro que pode ser comprado em qualquer supermercado ou farmácia.

Outra despesa que deve entrar na conta é o seguro-viagem. Embora não seja obrigatório, contratar esse serviço é vital para todo turista, já que os custos de tratamento médico por lá são altíssimos. Para evitar que sua viagem de férias termine com uma conta astronômica do hospital, vale se prevenir – veja algumas opções.

Como fazer para tirar o visto para os Estados Unidos?

O visto norte-americano para turistas brasileiros tem validade de 10 anos, por isso vale a pena tirá-lo o quanto antes. Além disso, com esse documento é possível usar o eTA (Autorização Eletrônica de Viagem, em inglês) para o Canadá, sistema que permite entrar no país pagando menos e com menos burocracia.

Tirar o visto para os Estados Unidos não é um bicho de sete cabeças, mas é preciso se organizar bem para que o pedido seja aprovado. A dica é reunir o máximo de documentos e comprovantes de vínculo com o Brasil, como já explicamos nesse post. Conte com a CELESTINO para agilizar o processo – entre em contato.

Fontes consultadas: Dicas da Disney e Orlando, Vai para a Disney
Texto: Igor Nishikiori, com edição de Julio Simões

× Como podemos ajudar?