fbpx

Como se proteger das altas do dólar e viajar tranquilo?

As incertezas políticas no Brasil e fatores externos têm feito o dólar oscilar para cima e causar pânico em quem está com viagem marcada ou planeja ir para o exterior nos próximos meses. A expectativa é que essa variação ocorra pelo menos até a realização das eleições brasileiras, ou seja, fim de outubro, quando ocorre o segundo turno.

Para quem já está com a viagem marcada, a recomendação é de que a compra do dólar seja feita em pequenas quantidades e em períodos diferentes, diluindo o risco de perda com as possíveis variações. Os especialistas indicam também pesquisar as cotações em diferentes casas de câmbio antes de comprar a moeda.

Outra saída é dividir a compra da viagem em diferentes etapas, adquirindo primeiro as passagens e depois os serviços (hotéis e passeios), pois o bilhete aéreo é o que mais pesa. Na internet, é possível comparar preços facilmente. Além disso, há aplicativos que enviam alertas sobre ofertas para o destino que você pretende ir.  

É preciso levar em conta também a forma de pagamento. Uma das melhores formas de evitar o gasto excessivo é não usar o cartão de crédito. A conversão dos gastos em dólares só acontece no dia do fechamento da fatura, e, em épocas de variações cambiais diárias, o valor se torna uma incógnita. Além disso, é preciso levar em consideração que existe o pagamento de imposto pelas despesas no exterior – IOF (Imposto sobre Operação Financeira) de 1,1% para dinheiro vivo e 6,38% para cartão de débito e crédito.

E se o sentimento for de que o dólar vai subir mais com o passar dos dias, a dica é usar os cartões de viagem pré-pagos. Você carrega o cartão com valores na moeda norte-americana e o guarda para a viagem. Quando estiver no exterior, você só terá para gastar no cartão o que tiver comprado previamente.

Bom momento para tirar visto

Independente da decisão de viagem neste momento, o visto americano, por exemplo, tem validade de 10 anos. E, neste momento de baixa demanda, a disponibilidade de datas de agendamento nos consulados não é um problema, diferente de outros tempos. Clique aqui e saiba como tirar o visto dos EUA com a ajuda da Celestino.

Texto: Guilherme Soares Dias, com edição de Julio Simões
Fonte: UOL e G1

× Como podemos ajudar?