fbpx

4 lugares que você precisa visitar ao fazer turismo no Egito

Um país de belezas místicas e história milenar, o Egito é um destino que tem atraído cada vez mais brasileiros. Apesar da imagem negativa das recentes revoluções internas que aconteceram por lá, o fato é que o país tem um baixo índice de violência e o governo tem feito investimentos pesados para atrair pessoas interessadas em fazer turismo no Egito. Se você está pensando em um destino diferente e com experiências incríveis para suas próximas férias, considere colocar o Egito na lista. Abaixo, listamos alguns lugares imperdíveis para visitar por lá:

Patrimônio mundial

Cá entre nós, fazer turismo no Egito e não conhecer as pirâmides é como vir ao Brasil e não conhecer as nossas belas praias. Faz parte do pacote básico do turista e é uma experiência única na vida.

As famosas pirâmides de Quéops, Quéfren e Miquerinos ficam localizadas na Necrópole de Gizé, sítio arqueológico que fica a 25 km do centro de Cairo, onde também está localizada a esfinge.

Para visitar o local é preciso pagar uma entrada de 80 libras egípcias (cerca de R$ 17). Já para entrar nas pirâmides é cobrada uma taxa extra, que vai de 60 libras egípcias (R$ 13) a 200 libras egípcias (R$ 43) — e esses ingressos são limitados a 500 por dia no inverno e 300 por dia no verão.

O local onde fica a Necrópole de Gizé é gigantesco, então muitos turistas contratam guias para ajudar a se locomover no local, com veículos ou animais. Um alerta importante é sempre negociar o preço, que à primeira vista são sempre exorbitantes de estrangeiros.

Múmias e faraós

Após conhecer as exuberantes pirâmides, vale também dar uma passada no Museu Egípcio no Cairo. São mais de 120 mil peças da antiguidade, dentre elas o famoso tesouro do faraó Tutancâmon. Também há múmias reais de Ramsés II, Seti I, entre outros; além de esculturas e peças do cotidiano no Antigo Egito.

Se a preservação dos artefatos encantam, a parte de curadoria deixa a desejar. É comum ouvir relatos de que há uma certa desorganização que torna difícil entender o real significado das peças em exposição. Por isso, a sugestão para melhorar essa experiência de turismo no Egito é contratar guias para fazer um tour pelo museu. A entrada é de 60 libras egípcias (cerca de R$ 13).

Museu a céu aberto

Outro local imperdível para quem estiver fazendo turismo no Egito é conhecer a cidade de Luxor, ao sul do país. Construída sob as ruínas da cidade de Tebas, antiga capital do Império Egípcio, Luxor é o que se pode chamar de museu a céu aberto. Nela é possível visitar os templos de Luxor e de Karnak, o Vale dos Reis (onde estão os túmulos de 62 faraós) e o Vale das Rainhas. Andar pela cidade é como entrar em um livro de história.

Luxor possui uma geografia interessante: a cidade é dividida ao meio pelo rio Nilo. A margem oriental é dedicada aos vivos, onde estão os monumentos e santuários destinados aos deuses da mitologia egípcia. Já a margem ocidental homenageia os mortos — e não por acaso é onde fica a Necrópole de Tebas, uma das mais importantes do país.

Quem gosta de aventura também pode fazer um passeio de balão por Luxor e conferir lá do alto a beleza e a grandiosidade dessas construções milenares.

Mergulho na história

Uma das passagens mais famosas da Bíblia é quando o mar Vermelho se abre para Moisés enquanto o povo hebreu foge do Egito. Hoje, essa região é a preferida dos mergulhadores por conta de suas águas cristalinas e pela sua incrível vida marinha. Para quem ainda é iniciante há a opção de navegar por trechos rasos e mais calmos.

Uma maneira de conhecer o mar Vermelho é indo à cidade de Sharm el-Sheikh, na Península do Sinai. Voltado fortemente ao turismo, Sharm el-Sheikh conta com diversos resorts e opções de passeios de barco e de quadriciclos, mas seu forte mesmo são os mergulhos em alto mar.

Estique até Jordânia e Israel!

Muitos viajantes que vão fazer turismo no Egito acabam esticando a viagem para outros países da região, como Jordânia e Israel. De fato, com diferença de menos de duas horas de voo, vale conhecer um pouco desses locais tão distintos do Oriente Médio.

Na Jordânia, o destaque são as ruínas da cidade de Petra, escolhida como Patrimônio da Humanidade pela Unesco e onde é possível visitar construções e monumentos antigos em meio às montanhas. Outra opção é nadar, ou melhor boiar, sobre o mar Morto. Já Israel tem como atração a cidade de Tel Aviv, que conta com bons restaurantes e uma vida noturna agitada. E tem ainda a cidade de Jerusalém, região sagrada para devotos de várias religiões.

Qual é a melhor época para fazer turismo no Egito?

O país fica em uma região bastante quente, sobretudo no verão, quando a sensação térmica ultrapassa facilmente os 40° C. Portanto, a melhor época para fazer turismo no Egito é de novembro a abril, quando as temperaturas estão mais amenas.

Também é importante ter em mente que o Egito é um país de maioria islâmica. Portanto, se você não segue a religião, evite visitá-lo durante o Ramadã, o mês sagrado dos muçulmanos. O principal motivo é que a maioria dos estabelecimentos comerciais fecha mais cedo ou funciona apenas em alguns dias da semana, o que pode causar algum transtorno durante a viagem.

Qual a documentação exigida para viajar ao país?

Para fazer turismo no Egito (assim como na Jordânia), você vai precisar do visto de entrada. Há dois locais onde é possível tirar a documentação: na embaixada egípcia em Brasília ou no consulado no Rio de Janeiro. Recomenda-se contratar o serviço especializado de um despachante, como a CELESTINO. Entre em contato conosco, teremos prazer em ajudá-lo.

Outro documento exigido para entrar no país é o Certificado Internacional de Vacinação para comprovar imunidade contra febre amarela. Esse controle é exigido para todos viajantes brasileiros a partir de 9 meses de idade.

Texto: Igor Nishikiori, com edição de Julio Simões