fbpx

O que é e para que serve o visto de acompanhante?

Sabia que seu cônjuge e seus filhos também podem te acompanhar caso você pretenda estudar ou trabalhar nos Estados Unidos? Neste caso, eles precisam tirar o visto de acompanhante, que é bem diferente do visto tradicional de estudante ou de turista. Para saber em quais situações esse documento se enquadra, confira o guia que preparamos:

O que é o visto de acompanhante?

Como o nome já faz supor, o visto de acompanhante é uma autorização de permanência dado à família de alguém que estudará ou trabalhará no exterior. Ele é oferecido para maridos e esposas (incluindo casais do mesmo gênero), e filhos menores de 21 anos. Portanto, namorados, noivos ou pais que queiram acompanhar os filhos em um intercâmbio no exterior NÃO têm direito ao visto de acompanhante.

A diferença desse visto para o de turismo é sua duração: ele vale até o fim do visto de trabalho ou estudo de quem for trabalhar ou estudar no país, com período máximo de sete anos de permanência. Com esse visto de acompanhante, é possível abrir conta em banco, tirar carteira de motorista e entrar e sair do país sempre que quiser (mas não podem ficar fora mais de cinco meses ininterruptos no exterior).

Saiba mais: Tipos diferentes de visto americano que pedem atenção

Em qual situação posso solicitar o visto de acompanhante?

Os Estados Unidos oferecem diversos tipos de vistos de acompanhante; o que diferencia é o objetivo do solicitante no país. Veja alguns casos:

Visto F-2

Esse visto é dado para dependentes de solicitantes do visto de estudante (F-1), exigido para qualquer pessoa que queira estudar do Ensino Fundamental ao Ensino Superior nos EUA. Apesar do visto F-1 permitir que o estrangeiro trabalhe em alguns poucos casos, o visto F-2 proíbe de exercer qualquer tipo de ofício remunerado.

Também não é permitido fazer cursos de longa duração no país (nesse caso, é preciso mudar o status para F-1). Fora isso, dependentes menores de 21 anos podem fazer somente o Ensino Fundamental e o Ensino Médio nos EUA (o chamado K-12); para frequentar uma universidade também será preciso mudar o status de permanência.

Saiba mais: Tudo o que você precisa saber para estudar nos Estados Unidos

Visto J-2

Esse visto é dado para dependentes de pessoas que vão fazer programas de intercâmbio nos EUA (J-1). Alguns casos, porém, não se enquadram na categoria de visto de acompanhante, como programas de emprego de verão e au pairs.

O visto J-2 permite que o cônjuge trabalhe no país, desde que autorizado pelo serviço de imigração dos EUA. Essa autorização (Employment Authorization Document) dura um ano, só pode ser solicitada em solo norte-americano e precisa ser renovada até que o visto de permanência expire. Além disso, o visto J-2 permite estudar livremente em qualquer instituição.

Visto L-2

Esse visto é dado para dependentes de pessoas que foram transferidos para trabalhar nos EUA. Ele permite trabalhar e estudar normalmente no país enquanto vigorar o visto de permanência. Para conseguir um emprego, porém, é preciso do  Employment Authorization Document fornecido pelo serviço de imigração dos EUA.

Assim como o visto J-2, menores de idade dependentes também podem frequentar as escolas e faculdades norte-americanas sem problemas. Além disso, quem possui esse visto também pode entrar com pedido para o Green Card, o cartão de permanência definitiva nos EUA.

Como tirar o visto de acompanhante?

O procedimento é o mesmo para todo visto norte-americano. Também é preciso comparecer a um Centro de Atendimento aos Solicitantes de Visto (CASV) para fazer a coleta da biometria. No caso de visto de acompanhantes será necessário fornecer alguns documentos extras que comprovem o matrimônio e a paternidade dos filhos. Também será necessário comprovar que possuem renda o suficiente para se manter por algum tempo no país.

Saiba mais: Como aumentar as chances de conseguir o visto americano

A CELESTINO é especialista em documentação consular, entre em contato e conte com a nossa ajuda especializada.

Fontes: Embaixada dos EUA, Travel.State.Gov
Texto: Igor Nishikiori, com edição de Julio Simões

× Como podemos ajudar?