fbpx

Número de brasileiros em intercâmbio cresceu 20% em 2018

Mesmo em um ano de crise econômica e instabilidade política, muitos brasileiros se planejaram e conseguiram viajar para fazer intercâmbio no exterior. Segundo a pesquisa Selo Belta 2019, 365 mil estudantes brasileiros deixaram o país para estudar fora no ano passado, crescimento de 20,46% em relação ao ano anterior. Ao todo, o setor movimentou US$ 1,2 bilhão neste mesmo período.

Ainda segundo a pesquisa realizada pela Associação Brasileira de Agências de Intercâmbio (Belta), Canadá, Estados Unidos, Reino Unido, Irlanda e Australia são os cinco destinos mais procurados por intercambistas brasileiros. O Canadá, aliás, ocupa a primeira posição deste ranking há 13 anos.

Confira cinco ótimos motivos para fazer intercâmbio no Canadá

Além disso, os cursos de idiomas, especialmente os de língua inglesa, são os mais procurados por brasileiros, segundo a pesquisa. Em seguida, vêm os cursos de idiomas com trabalho temporário e os cursos de férias para teens (em julho e janeiro). Já os cursos de graduação aparecem em quarto lugar, seguidos pelo tradicional High School

“Um dos motivos da ascensão dos cursos de graduação é a maior atenção dada pelas universidades do exterior aos brasileiros e a possibilidade do aluno ser intercambista esportivo, modalidade que cresceu 20% no período”, explica Maura Leão, presidente da Belta. Em números absolutos, três mil estudantes fizeram intercâmbio esportivo em 2018.

Outro dado bastante interessante levantado pela pesquisa é que cerca de 60% dos intercambistas brasileiros são do sexo feminino. Além disso, o levantamento também apontou que o número de intercambistas acima dos 40 anos tem aumentado. “Este público tende a estar mais estável financeiramente, o que permite fazer a tão sonhada viagem de intercâmbio”, justifica Maura.

Agências de intercâmbio em alta

Um dado que chama a atenção na pesquisa Selo Belta 2019 é relacionado ao processo de compra do pacote de intercâmbio. Apesar da maioria dos estudantes começar o planejamento de viagem pesquisando pela internet e ter o primeiro contato com a agência de forma online, 67% dos interessados concluem a compra em uma loja física. 

Entre os principais motivos que interferem na escolha do destino de intercâmbio pelo viajante brasileiro estão o câmbio favorável, o fato de ser um país anglo-falante e a qualidade de vida, respectivamente.

Clique aqui e saiba quais são os melhores destinos para aprender inglês

Outro número relevante é que 73,3% das agências afirmaram que as vendas de produtos de intercâmbio aumentaram em 2018. A grande maioria ainda vende pacotes para o aprendizado da língua inglesa, mas pacotes para estudo de idiomas como espanhol e francês não estão muito atrás.

Fonte consultada: Associação Brasileira de Agências de Intercâmbio
Texto: Julio Simões